web analytics

Sincronicidades são evidências de que o universo é feito de informação?

Ouça este artigo...
Tempo de leitura: 5 min.

As sincronicidades são estranhas. Eles são ainda mais estranhos quando se transformam em meta.

Sincronicidades são evidências de que o universo é feito de informação?
Crédito: depositphotos

Por Greg
Por exemplo: depois de ler recentemente American Cosmic: UFOs, Religion, Technology de Diana Walsh Pasulka pensei que seria divertido escrever um pequeno artigo sobre um dos tópicos fascinantes abordados no livro – sincronicidades.

Ao mesmo tempo em que comecei a escrever este artigo no início desta semana, também fiz uma chamada não relacionada no Twitter para podcasts interessantes aos quais poderíamos dar mais publicidade – e um deles foi o excelente Expanding Mind podcast de Erik Davis. Ao procurar um feed do podcast, encontrei uma conversa recente que ele teve com Diana Pasulka sobre o livro dela. Então obviamente eu escutei.

Enquanto eu ouvia o podcast, o redator do Daily Grail, Red Pill Junkie, me mandou uma DM no Twitter para me informar que estava trabalhando em um artigo sobre a organização de pesquisa de OVNIs de Tom DeLonge e como era semelhante a um esforço feito algumas décadas antes por um empresário de tecnologia chamado Joe Firmage (publicado ontem aqui) – e, coincidentemente, especulações sobre se Firmage tinha laços com… Diana Pasulka. Lembrei-me de Firmage, mas não ouvia seu nome há mais de uma década. Então, fiquei surpreso quando, na entrevista em podcast com Pasulka que eu estava ouvindo, Erik Davis de repente mencionou o nome de… Joe Firmage.

Rindo, enviei uma DM para RPJ de volta para observar a sincronicidade. E, menos de dois minutos depois, Pasulka começa a falar com Erik Davis sobre “tantas sincronicidades” acontecendo em conjunto com seu trabalho e o fenômeno OVNI!

De qualquer forma, estou divagando – mas achei que era uma boa maneira meta de apontar como as sincronicidades podem muitas vezes parecer mais do que “apenas uma coincidência” e muitas vezes podem ter um efeito poderoso sobre nós (veja o próprio conto louco de sincronicidade do parapsicólogo Dean Radin para outro exemplo). De fato, em American Cosmic, Pasulka observa a opinião de Nietzsche de que essas poderosas experiências de “sincronização” são “os motores da crença religiosa”.

Mas as sincronicidades são poderosas porque são mais do que apenas eventos casuais? A ciência ortodoxa diria que são simplesmente coincidências sem sentido, mas existem outras maneiras de ver a realidade que talvez ofereçam um modelo de como as sincronicidades podem de fato ser mais do que ocasiões casuais.

Pasulka cita nosso bom amigo, pesquisador de OVNIs e futurista Jacques Vallee, para explicar esse modelo alternativo, baseado em sua própria experiência em arquitetura de computadores e redes (juntamente com seu bacharelado em matemática e mestrado em astrofísica, Jacques também tem doutorado em Ciência da Computação e fez um trabalho inicial na ARPANET, a precursora da internet), que pergunta se o cosmos é baseado em informações, em vez de tempo e espaço:

“A teoria do espaço e do tempo é um artefato cultural possibilitado pela invenção do papel quadriculado. Se tivéssemos inventado o computador digital antes do papel quadriculado, poderíamos ter uma teoria de informação muito diferente hoje… O que os cientistas da computação modernos perceberam é que ordenar por espaço e tempo é a pior maneira possível de armazenar dados…”

Na palestra TEDx abaixo, Vallee oferece a analogia de uma biblioteca: em uma pequena biblioteca, apenas lembramos onde determinados livros estão no tempo e no espaço, mas em uma biblioteca maior, usamos um sistema de catálogo construído com base nas informações associadas ao livros. E levando essa analogia adiante, para a enorme ‘biblioteca’ de informações que o Google cataloga, essas informações são armazenadas e pesquisadas semanticamente em vários níveis por meio de algoritmos e códigos.

É claro que Jacques adverte que não quer dizer que o cosmos pode ser simplesmente comparado a um enorme banco de dados:

“Não pretendo usar análogos com a tecnologia atual e grosseira. É algo obviamente muito maior, muito mais complexo…”

Mas sua analogia deve ser suficiente, diz ele, para que:

“Reconheçamos as dimensões como um artefato cultural – criamos dimensões porque temos pequenas ‘bibliotecas’.”

[Para instruções de como ativar a legenda em português do(s) vídeo(s) abaixo, embora esta não seja precisa, clique aqui.]

O resultado de tudo é que, de acordo com Vallee:

“[Se] vivermos no universo associado do cientista de software em vez do universo sequencial cartesiano do físico do espaço-tempo, então os milagres não são mais eventos irracionais. [Que, ao contrário,] podemos estar atravessando incidentes por associação.”

Usando a analogia do computador moderno de Vallee, podemos entender isso melhor comparando-o com os sistemas modernos de publicidade na Internet. Não ficamos surpresos agora quando estamos pensando em algo, como comprar sapatos novos, e então os sites começam a nos mostrar anúncios de sapatos. Sabemos que não é uma coincidência ou sincronicidade – em vez disso, provavelmente já fizemos uma pesquisa no Google por sapatos, ou curtimos uma postagem no Facebook sobre sapatos, ou qualquer outra ação ‘rastreada’ com base em nosso desejo atual por sapatos, que a publicidade algoritmos estão se alimentando. Mas é apenas porque entendemos (até certo ponto) os mecanismos pelos quais o Facebook e o Google etc. exploram nossas ações e movimentos na web que vemos isso como mundano (e realmente intrusivo), em vez de algum tipo de sincronicidade mística.

Então, não entendemos o mecanismo do cosmos o suficiente para compreender como e porque as sincronicidades estão ocorrendo? E levando isso adiante, isso também nos permite contemplar a possível realidade do conceito mais herético de ‘magia’? O futurista Mark Pesce aborda alguns dos mesmos fundamentos de Vallee em seu artigo “The Executable Dreamtime: Language, Magic and the Universe as Code“ (“O Executável Tempo de Sonho: Linguagem, Magia e o Universo como Código”, em tradução livre):

“Há um sentimento crescente nas comunidades científicas e técnicas de que, quando todas as especificidades são eliminadas, quando a própria essência do universo é revelada, nada mais é do que um código. E o que é código, precisamente? Linguagem. Seja a escada dos pares de bases de aminoácidos que compõem o genoma, seja a sequência de passos lógicos em um programa de computador, seja as traduções matemáticas que podem ocultar ou revelar uma mensagem, o código é uma organização temporal de símbolos – primeiro… próximo…último– que estabelece a base tanto para a operação quanto para a compreensão.

A ideia do universo como código ganhou grande aceitação com “A New Kind of Science” (Wolfram Media, Inc., 2002), do matemático Stephen Wolfram, que postula que os processos observáveis ​​no universo obedecem mais frequentemente a regras computacionais do que a fórmulas algébricas. Ele prossegue afirmando que um enorme número de processos díspares que vemos na natureza – a expansão do espaço-tempo, a interconectividade quântica e o crescimento de formas biológicas – todos têm sua base no fato de que o universo age como uma entidade que está constantemente processando códigos, executando programas, engajando-se na execução da realidade. Wolfram foi treinado como físico e programador de computador; sua experiência em ambas as disciplinas o torna qualificado de forma única para identificar o terreno comum que existe entre esses campos aparentemente totalmente distintos.

…Quer aceitemos ou não reconhecê-lo, a seta da evolução epigenética da espécie humana aponta para um momento no futuro próximo, quando o mundo inteiro será apreendido como código. Uma futura ‘Teoria de Tudo’ não será uma fórmula; será um programa, uma série de enunciados linguísticos que, como as palavras de uma frase, descrevem a execução da realidade.”

Uma analogia simplista poderia ser pensar no jogo de tiro 3D, que apresenta o que parece ser um mundo cartesiano de três dimensões e tempo, que na verdade é código: funções, iterações, objetos criados dinamicamente (que podem não existir quando solicitados a serem observados por o jogador… olá física quântica). E, claro, a hipótese de simulação leva esse pensamento à sua conclusão lógica.

Para Jacques Vallee, as sincronicidades possivelmente fornecem evidências de que a realidade é baseada na informação e como a consciência interage e a acessa:

“Se você acredita que o universo é um universo de ‘informação’, então você deve esperar coincidências. Você deve esperar, já que somos uma máquina de informação – é isso que nosso cérebro é, é principalmente uma máquina de informação e a consciência nos dá a ilusão de um mundo físico e há uma ilusão de tempo – se este for o caso, então você pode esperar coincidências. É como colocar uma palavra-chave no Google ou Yahoo!; você coloca e recebe muitas informações relevantes de volta. Isso não me parece estranho porque é assim que a informação foi organizada. Talvez o universo seja da mesma forma. Se for assim, então as coincidências não são nada estranhas. É apenas uma indicação de que é assim que o universo funciona.”

Esteja ele certo ou não, é no mínimo um conceito fascinante para contemplar e ajudar a abrir um pouco a nossa mente para outras possibilidades…

(Fonte)


E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores do mês: Edward de Lima, Maria Dorotea Soares, Leopoldo DeLa Rocca, Fabiano de Faria, Silas Raposo, Eduardo Figueiredo, Paulo Sanchez.

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!

hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!