Thula: A Insurreição de Sirius e o fim do domínio

Tempo de leitura: 7 min.

As informações contida nos artigo abaixo são duvidosas para a maioria das pessoas e está sendo publicado aqui no OVNIHoje.com por fazerem parte de sua missão. Mas quem pode realmente dizer que não se trata de algo real que está totalmente fora da “realidade” imposta a nós? Pelo sim ou pelo não, minimamente vale pelo seu valor literário, se houver algum.

Thula: A Insurreição de Sirius e o fim do domínio
Imagem de WikiImages por Pixabay

Por Elena Danaan
Estou recebendo neste dia a informação confirmando que o sistema estelar que chamamos de ‘Sirius B’ cortou oficialmente seus laços em todos os níveis com os impérios Ciakahrr e Nebu.

Histórico de eventos​

Foi um longo caminho… para finalmente alcançar esta vitória notável, apenas devido à bravura, resiliência, inteligência e glória das populações de Thula. Os cinco mundos civilizados de Thula experimentaram o mesmo destino do sistema Sol, quando a poderosa Aliança dos Seis, liderada pela Orion Nebu Hive (Colmeia Nebu Orion), se infiltrou e assumiu todo o sistema. Localizado na constelação chamada na Terra de “Canis Major” (Cão Maior), Sirius, de seu nome local “Ashkera”, é um sistema estelar triplo localizado a 8,6 anos-luz da Terra. Este sistema é composto por uma estrela azul brilhante (A), uma anã branca densa (B) e uma anã vermelha escura (C). Todas as raças e culturas que vivem neste sistema de estrela tripla recebem o nome comum de “Ashkeru”.

Thula, ou Sirius B, é um sistema estelar que abriga uma grande variedade de culturas. Adaptando-se a uma variedade impressionante de ambientes, a vida neste sistema está repleta de diversidade, como Reptilóides, Anfíbios, Humanoides, Insectoides, Grays Humanoides não de colmeia e um amplo painel de subespécies híbridas. Uma raça humanoide geneticamente proeminente surgiu do lote, nascida do cruzamento dos colonos Lyran Taal e Grays Humanoides locais (não-colméia), a fim de se adaptar às condições ambientais. Esta raça é chamada de Ashkeru-Taal, mais comumente: “T-Ashkeru”. Um pouco menores que a média dos humanoides em razão de mutações genéticas, os T-Ashkeru têm um rosto triangular com olhos mais largos e silhuetas esguias. A sua cultura é orientada para a ciência e tecnologia, e alguns deles ocupam atualmente altos cargos no Comando Galáctico.

Em quatro dos mundos de Thula, os humanoides Ashkeru coabitam com diferentes raças locais. A tecnologia T-Ashkeru, quando se trata de construção, inspirou muitas culturas em toda a galáxia Nataru e além. O T-Ashkeru inclui a natureza em igual proporção dentro da arquitetura e do urbanismo. Eles inventaram materiais surpreendentes, extremamente resistentes a uma ampla gama de radiações e adequados a uma grande diversidade de ambientes. Esses materiais de construção excepcionais são ao mesmo tempo translúcidos de um lado e opacos do outro. Como membros oficiais da Federação Galáctica dos Mundos, os T-Ashkerus auxiliam na construção de um sistema ecológico adequado para a evolução humana na Terra, aprimorando a grade de energia biomagnética do planeta em coordenação com os Errahil das Plêiades. Eles trabalham para proteger o meio ambiente do planeta e sua biodiversidade, elevando a consciência humana através da evolução da biosfera.

Infelizmente, o sistema planetário Thulan foi ocupado por milênios pela Aliança Orion dos Seis e também foi o cerco do nefasto Coletivo Ashtar, que tem laços com o Corporativo de Altair. Esta última organização colabora com a Aliança Humanoide de Altair, o Coletivo Orion Gray e uma presença militar negativa de Terran. Assim, o sistema estelar de Thula tem oscilado por milênios entre líderes concorrentes de poder, até encontrar um frágil equilíbrio político, cerca de 1.500 anos atrás. A forma como a paz finalmente poderia ser alcançada, mesmo em um equilíbrio precário, seria delimitando zonas territoriais planetárias e corredores neutros de circulação no sistema estelar.

​Para obter uma melhor visão dessa intrincada situação, precisamos aprofundar a compreensão das origens do cisma entre o Coletivo Ashtar (também conhecido como Aliança Ashtar) e o Comando Galáctico Ashtar, e viajar no tempo até as Grandes Guerras de Orion:​

A sede do Coletivo Ashtar está localizada no 5º e mais externo planeta do sistema Thula: Morga. Esta organização inclui muitas espécies. “Ash” significa “luz brilhante” na antiga língua siriana, e “Tar” significa “o assento”. Na época em que a Aliança dos Seis estava se formando em Orion durante as Grandes Guerras de Orion, que eventualmente levaram à derrota da Liga Negra e à vitória de Nebu, os humanóides T-Ashkeru se viram envolvidos em um conflito pela proteção de vinte e um sistemas estelares da agenda de expansão do império Nebu. Quando um triste destino começou a atingir a maioria dos mundos na zona de Orion, os sistemas Sirianos enfrentaram os invasores e uniram forças com a Liga Negra, criando seu próprio coletivo de defesa: os Ash-Tar.

​A razão pela qual a Aliança dos Seis, que reúne dois dos impérios mais poderosos da galáxia: Nebu e Ciakahrr, não se apropriou totalmente de Thula, como certamente poderia ter feito em um estalar de dedos, deve-se à entrada dos T-Ashkeru e duas outras culturas locais como membros da Federação Galáctica dos Mundos. Só então esses tratados territoriais de paz poderiam ser aprovados. Enquanto ninguém se sobrepunha à zona planetária de ninguém, esse equilíbrio precário não oscilava. Até o dia em que as tensões inevitavelmente cresceram a um certo ponto crítico.

​Devido à significativa infiltração e corrupção do Coletivo Ashtar por agentes dos Impérios Ciakahrr e Nebu, uma facção rebelde se separou do Coletivo Ashtar e se aliou à Federação Galáctica dos Mundos. Para se distinguir do Coletivo Ashtar agora comprometido, os separatistas Ashtar adotaram o nome de “Comando Galáctico Ashtar”. Eles não são baseados em um sistema particular, mas em uma grande frota em movimento, como uma organização militar mercenária que promete manter a paz neste setor galáctico e libertar mundos dos impérios Orion e Ciakahrr. Hábeis em operações militares devido ao seu treinamento com a Liga Negra Orion, os separatistas Ashtar foram oferecidos pela Federação Galáctica dos Mundos para ajudar no sistema Sol. Eles estabeleceram um posto avançado, “Shar”, na atmosfera superior de Júpiter. É uma enorme cidadela flutuante inatacável construída com toda a renomada ciência e técnica arquitetônica do povo T-Ashkeru. Suas habilidades em batalha são de grande renome e pode-se dizer que são a última célula sobrevivente da ilustre Liga Negra. No que diz respeito à sua presença no sistema Sol, o posto avançado do Comando Ashtar em Júpiter trabalha em estreita colaboração com a Federação Galáctica dos Mundos. Deve ser lembrado também, para evitar confusão, que “Ash-Tar” também é um título, equivalente a “Alto Comandante”. Esta organização integrou ao longo do tempo muitas raças diferentes mas o seu comando sempre foi assegurado por oficiais do T-Ashkeru.

​Enquanto isso, por estarem profundamente infiltrados pelo império reptiliano Ciakahrr, o Coletivo Ashtar também teve um envolvimento no sistema Sol com governos sombrios e a Frota Negra, fornecendo-lhes novas tecnologias e armas em troca de instalações e material humano. Eles também se aliaram às atividades de Alcyone Taal-Shiar e do Coletivo Altairan na Terra para a Frota Negra.

​Para entender agora por que uma insurreição repentina e bem-sucedida foi possível para o sistema estelar de Thula, após um milênio e meio de relativa paz com seus poderosos vizinhos de Orion, devemos olhar para trás em alguns eventos específicos que ocorreram recentemente em nosso sistema solar.

A pegada​

Em 30 de setembro de 2021, meu contato na Federação Galáctica dos Mundos, Comandante Thor Han Eredyon, esteve envolvido na prisão de um grupo muito especial de Grays Altos Ebans enquanto tentavam escapar da base militar de Dulce e chegar a um portal próximo Saturno.​

Estes eram os mesmos altos oficiais de Eban responsáveis ​​pelos tratados com o MJ-12 e o Complexo Industrial Militar em 1955. Eles foram rapidamente colocados em êxtase no Departamento de Ciências Militares a bordo do encouraçado de Thor Han, pois quando capturados, esses seres instantaneamente deixam seus corpo de avatares, que é finalizado remotamente pelaColmeia Nebu. Como todos os Grays, eles tinham escudos de segurança cerebral que foram quebrados pelos cientistas da Federação Galáctica dos Mundos. Enquanto permanecerem atordoados, eles não poderiam enviar um sinal para a Colmeia, o que resultaria em sua remoção remota. Pela primeira vez, a Federação Galáctica dos Mundos foi capaz de triangular a frequência cerebral desses Grays e neutralizar a transmissão de frequência para sua Rainha da Colmeia e então… chegar até ela. Pela primeira vez na história desta galáxia, pode-se decifrar os códigos de acesso à Rainha da Colmeia Orion.

Ao redor dos sistemas estelares de Rigel e Betelgeuse estão os quartéis militares de artilharia pesada de Nebu, e no aglomerado da Nebulosa Trapezium M42 (também chamado de “Ka-Ba”) está o “Cubo”: o centro político onde a Rainha da Colmeia está localizada. É o coração de seu império e a sede da Aliança dos Seis: Orion Nebu, Ciakahrr, Coletivo Zeta-Reticuli Gray, Vela Kiily-Tokurt, Cygnus Solipsirai e Megopei Maytra. O nome “Nebu” em sua linguagem comum significa “Os Mestres” ou “Domínio”, e refere-se apenas aos Grays Altos residentes na Zona de Orion e ligados ao Rainha da Colmeia M42. Entre eles encontramos os Betelgeuse Ebans (mestres geneticistas, fabricantes de escravos e governantes da Colmeia), os Bellatrix Indugutks e os Mintaka Grails.

No início, na Zona de Orion, cada mundo povoado por Reptilóides e Insetoides Grays tinha sua própria Colmeia-Consciência planetária individual e sua própria Colmeia Mãe, ou Rainha. Como muitos deles se juntaram para formar o Império Nebu, eles se fundiram em uma única Colmeia-Consciência comum que se tornou totalmente poderosa quando as rainhas planetárias se fundiram, dando existência a uma grande Rainha da Colmeia central, localizada na Nebulosa M42 de Orion. A Rainha da Colmeia não é um ser vivo biológico real, mas uma supraconsciência desencarnada que funciona como inteligência artificial ou um supracomputador quântico. Ela não pode ser morta; isso a fortalece. A única maneira de neutralizá-la é destruir a teia da consciência e envolvê-la em um vazio adimensional. E para isso, bastava quebrar a estrutura de frequência da teia, a própria “assinatura” da Colmeia. E eles conseguiram… A Federação Galáctica dos Mundos quebrou a chave de frequência que poderia desabilitar suas funções regenerativas, e a fórmula quântica da conectividade da Colmeia Orion Gray!

Os Nebu Grays começaram a se sentir profundamente desorientados no início, com certeza. Quem sabe o que será deles? A Federação Galáctica dos Mundos tem o melhor sistema correcional, onde o livre-arbítrio é aplicado, oferecendo aos prisioneiros a escolha de mudar e ser libertado, a Federação Galáctica dos Mundos segue a ética de sempre dar uma segunda chance redentora, acreditando no lei universal da evolução, mas acredito que essas abrirão uma exceção às regras.

Os Grays Altos Ebans capturados foram peças-chave no desenrolar dos eventos na Terra desde sua chegada em 1955. Cinco dias depois, essa apreensão excepcional deu frutos… Os Nebu, derrotados, fugiam da Terra, correndo para os portais localizados em muitos lugares neste sistema estelar. Eles foram pegos em armadilhas armadas pela Federação Galáctica dos Mundos, cujos contingentes encapuzados os esperavam. Não havia saída. A contagem regressiva havia começado para o fim da tirania Nebu neste sistema estelar, e… além.

​O colapso da colmeia

A Rainha da Colmeia Orion recebeu de volta um “presente” com as bênçãos da Federação Galáctica dos Mundos: um vírus que infectaria toda a colmeia para desmantelar toda a estrutura. Foi o suficiente desses caras. Tantos mundos destruídos, civilizações erradicadas e almas assimiladas, era o suficiente. A Colmeia Nebu entrou em colapso em todos os lugares onde ancorou, liberando mundos, civilizações, almas… e essas civilizações de repente se encontraram de volta ao caminho de sua própria liberdade. Como Thula.

​Tendo perdido o apoio do Nebu, a Aliança dos Seis iniciou sua grande retirada e agora é apenas uma questão de tempo antes que eles se renomeiem como Aliança dos Cinco ou decidam se separar. O tempo dirá quais decisões serão tomadas. O que acontecerá com as civilizações de Gray Nebu, quando o Domínio entrar em colapso? Bem, o equilíbrio natural das leis universais provavelmente levaria cada um deles a se reagrupar de volta às suas antigas colmeias planetárias, como eram originalmente antes da grande assimilação de Nebu. Este é o fim de uma era, e a justiça foi feita.

A Insurreição de Sirius B

As populações Thula, após o anúncio oficial da derrota da Colmeia Nebu e do êxodo dos Grays Orion de seu sistema estelar, iniciaram uma rebelião, quebrando os acordos de zonas neutras e territórios planetários. Liderados pelo governo T-Ashkeru de Nyan, segundo planeta do sistema, que bravamente votou pela independência, as forças armadas T-Ashkeru cercaram Morga com uma poderosa frota de guerra de seis mil naves, abordando o cerco do Coletivo Ashtar para se render. Previsivelmente, os Ciakahrrs residentes decidiram defender seu posto. A população de Morga foi evacuada enquanto o exército T-Ashkeru liderava um ataque ao quartel-general do Coletivo Ashtar. Isso poderia ter sido ruim para o exército T-Ashkeru se a maioria das forças do império Ciakahrr não estivesse naquela época cercando o sistema Sol na esperança de se vingar de sua derrota lá. O súbito colapso da Colmeia Nebu também teve um efeito surpresa em favor dos T-Ashkerus. Com a ajuda da Federação Galáctica dos Mundos e do Comando Galáctico Ashtar, que enviou forças contingentes para ajudar os T-Ashkerus, o grupo Ciakahrr em Morga não teve absolutamente nenhuma chance. A sede do Coletivo Ashtar em Morga foi destruída e o planeta levado de volta, assim como todo o sistema estelar.

Insurreições semelhantes estão acontecendo agora em outros sistemas estelares, pois estamos vendo o início de uma nova era de liberdade e prosperidade neste setor da galáxia, em conformidade cósmica com a mudança deste quadrante para uma zona de 5ª densidade do espaço.

Honra aos que caíram pela causa, e se levantaram novamente.

Sobre a autora:
Elena Danaan é uma arqueóloga que passou muitos anos trabalhando em diversos locais no Egito e na França estudando culturas antigas. Xamã hereditária, ela também estudou espiritualidade pagã, magia e alquimia. Ela foi treinada e ordenada como uma Druida. Contatada por extraterrestres desde a infância, Elena Danaan tornou-se uma emissária da Federação Galáctica dos Mundos. Seus best-sellers mundiais ‘A Gift From The Stars’, ‘We Will Never Let You Down’ e ‘The Seeders’ marcaram nossos tempos e inspiraram milhões de pessoas.

(Fonte)


Como mencionei no início do artigo, é muito difícil acreditar que tudo isso mencionado acima seja real, pois é algo muito afastado do que consideramos real, e ainda por ser algo escrito por uma contatada que vende muitos livros. Porém, o caso serviria como um ótimo enredo para um filme de ficção científica, já que a franquia Star Wars parece estar “falindo”.

Mas se, por uma mínima chance, for verdade, seria uma indicação de que nosso universo é um lugar muito mais caótico ainda do que pensamos e isso não se dá somente pelo movimento mecânico dos astros.

Uau! Que viagem, não?

n3m3

E não esqueça: nossa página principal é atualizada diariamente, com novos artigos podendo ser publicados ao longo do dia. Clique aqui.

Atenção: Qualquer artigo aqui publicado serve somente para cumprir a missão deste site. Assim, o OVNI Hoje não avaliza sua veracidade totalmente ou parcialmente.

Participe dos comentários mais abaixo… e (importante) se puder, colabore na manutenção do OVNI Hoje utilizando o QR code do PIX abaixo, ou use a chave PIX “OVNIHoje” (sem as aspas):

Agradecimentos aos colaboradores dos últimos meses: Edward de Lima, José de Castro, Teogenis de Oliveira, Egídia dos Santos, Silas Raposo, Reinaldo Galhardo, Luiz Buria, Silas Raposo, Maria Dorotea Soares.

Muito obrigado!


ÁREA DE COMENTÁRIOS

ATENÇÃO:

  • Os comentários são de responsabilidade única e exclusiva de cada pessoa que comenta. O OVNI Hoje não se responsabiliza por transtornos, rixas ou quaisquer outras indisposições causadas pelos comentários.
  • Comente educadamente e com ética, sempre tratando seu colega de comentários como você mesmo/a queira ser tratado/a.
  • Qualquer comentário com “pregação” política ou religiosa, obsceno ou inapropriado será prontamente apagado pelos moderadores.
  • A PRIMEIRA TENTATIVA DE BURLAR AS REGRAS INCORRERÁ EM BANIMENTO DA ÁREA DE COMENTÁRIOS!
hit counter code
Ads Blocker Image Powered by Code Help Pro

BLOQUEADOR DE ANÚNCIOS DETECTADO!!!

Caro leitor, a existência do OVNI Hoje depende exclusivamente dos anúncios apresentados aqui. Por favor, apoie o OVNI Hoje e desabilite seu bloqueador de anúncios para este site. Obrigado!